segunda-feira, 13 de novembro de 2017

NOMEAÇÕES PASTORAIS - PRIMEIRA REGIÃO ECLESIÁSTICA - 2018/2019



O período que antecede as Nomeações Pastorais é um tempo de muitas especulações quanto aos Pastores/as que vão ficar, sair ou chegar.

O Artigo 130, Inciso VII, dos Cânones/2017, diz que o Bispo tem o prazo, de até 30 de novembro para divulgar as Nomeações Pastorais.

Por isso, qualquer especulação é improcedente, beirando a irresponsabilidade, causando inquietações e sofrimentos desnecessários.

Reconhecemos que é um processo desgastante para todos, inclusive para as famílias Pastorais.

Orientamos a Igreja à permanecer em oração e serenidade para que Deus faça exatamente a vontade Dele, que é boa, agradável e perfeita.



Assim que for publicada oficialmente as Nomeações Pastorais da 1ª Região Eclesiástica, publicaremos em nosso Blog.

Com carinho!

Rev. Ednaldo Breves

terça-feira, 7 de novembro de 2017

DUAS PORTAS, DOIS CAMINHOS, DUAS COMPANHIAS E DOIS DESTINOS


AS OPÇÕES APRESENTADAS POR JESUS AOS HOMENS
Texto: Mt. 7:13-14

INTRODUÇÃO:
·         Há muito tempo atrás, na minha infância, um quadro nas paredes das casas dos “crentes” nos assustava.
·         Assustava por mostrar de maneira tão clara as 2 opções que temos em relação a nossa vida e  eternidade.
·         A Bíblia só reconhece dois caminhos e dois tipos de pessoas (com Cristo e sem Cristo, céu e inferno).
·         Desde o A.T. a Bíblia nos mostra Deus chamando o homem a uma escolha: “Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal”. Dt. 30:15

DESENVOLVIMENTO:
·         É interessante que a Bíblia, no texto lido fala de PORTAS E CAMINHOS, mas não fica só nisso!
·         Fala de 2 portas, 2 Caminhos, 2 Companhia e por fim 2 Destinos bem distintos.
·         PORTA nos fala do processo inicial, nos fala da entrada.
·         CAMINHO nos fala de caminhada (ou seja: a seqüência após a entrada pela porta).
·         COMPANHIA – nos fala de “quem vai conosco na caminhada”.
·         DESTINOS – nos fala de para onde desejamos ir.

1) DUAS PORTAS:
·         LARGA:
o       Diz respeito à oferta do mundo para que tenhamos uma vida sem compromisso com Deus.
o       É oferecido um modo de viver sem necessidade de mudança...
o       Não precisa levar em conta Marcos 8:34...
o       Você pode vir para Igreja como estar e continuar como veio, no adultério, na fornicação, no homossexualismo, no lesbianismo, freqüentando os clubes, bebendo socialmente, indo a shows populares, etc...
o       Esta é a propaganda do inimigo e de quem está a serviço dele...
o       No entanto, esta porta vai te conduzir a uma “pseudo-igreja”, à um falso-evangelho e, por fim te conduzirá invariavelmente ao inferno.

·         ESTREITA:
o       Diz respeito à oferta de Deus para que tenhamos uma vida de compromisso com Deus.
o       À princípio, para a grande maioria, a propaganda não é muito atraente.
o       Afinal, você tem que se desfazer de quase todos os conceitos que aprendeu no mundo (Lei de Gerson, Bateu X Levou, Caiu na minha rede é peixe, antes eu do que ele...)
o       Nesta porta, a propaganda é baseada em Mateus 11:28-30 e no Hino 245 que diz: E venho como estou... mas, não fico como vim...
o       A pessoa tem vencer sua natureza pecaminosa e todas as inclinações naturais (Luc. 13: 24), só que tem um detalhe: Não o faz sozinho/a.
o       Esta porta estreita exige cumprimento de Marcos 8:34.
o       Exige obediência rigorosa à Palavra de Deus.
o       Só tem um detalhe!
o       E esse detalhe faz toda diferença: O nome desta porta é JESUS. Em João 10:9 Jesus diz: “Eu sou a porta”
o       A Porta pode ser estreita, difícil, mas é ela que conduz ao Caminho do Céu.

2) DOIS CAMINHOS:
·         O caminho é a seqüência pós passagem pela portas.
·         E entrar pela porta é uma questão de consciência, liberdade e escolha,
·         A vida passa a ser moldada pela escolha
·         Não é o destino que determina o nosso futuro, e sim as nossas escolhas.

CAMINHO LARGOCaminhada sem compromisso com a Santidade...
·         Ninguém vê diferença... Falta o brilho de Cristo...
·         A pessoa é até agradável, já que não confronta ninguém... faz o que todos fazem...
·         Tem uma aparência atraente. Mas, olha o que a Bíblia diz em Provérbios 14:12: “Há caminho que ao homem parece direito mas é caminho de morte.

CAMINHO ESTREITO – Caminhada comprometida com Deus.
·         É estreito e requer esforço... Renúncia para vencer a vergonha e evangelizar, esforço para estar na Escola Dominical, Cultos, esquecer um pouco de nós e pensar nos outros.
·         Ele é estreito, mas também é aconchegante, pois neste caminho você encontra gente no mesmo propósito, na mesma visão, pessoas apaixonadas por Jesus e por pessoas.... Gente como a gente... Um cuidando do outro, dando as mãos e Deus cuidando de todos.
·         Jesus Cristo disse em Jo. 14: 6: “Eu sou o caminho...”

3) DOIS TIPOS DE COMPANHIA:

A – COMPANHIA DA PORTA E DO CAMINHO LARGO
·         Muitos viajantes na estrada larga. Por isso muitos se iludem. Afinal, até dizem que a voz do povo é a voz de Deus...
·         Muitos estão iludidos pensamos que Deus está aprovando e andando com eles.
·         Pode usar até a bíblia como amuleto, mas quem está andando com eles é qualquer um, menos Deus. NÃO SE ILUDA! NÃO PAGUE PARA VER...

B – COMPANHIA DA PORTA E DO CAMINHO ESTREITO
·         Poucos peregrinos no caminho estreito. Mesmo onde há multidão, os viajantes do caminho estreito são poucos em relação aos do caminho largo...
·         Agora, tem um detalhe: Além de nossos amados irmãos e irmãs, caminhamos com Deus, Jesus, Espírito Santo, com os anjos do Senhor e ainda temos a nosso GPS nas mãos, que é a Bíblia Sagrada.

4) DOIS DESTINOS:

A – DESTINO DOS QUE ENTRAM PELA PORTA LARGA E TRILHAM NO CAMINHO LARGO
·     É lamentável, porém necessário, dizer que o destino dos que aceitam a falsa propagando da porta larga, trilham o caminho largo, caminham com um estranho pensando que é Deus, só pode ser o inferno...

B – DESTINO DOS QUE ENTRAM PELA PORTA ESTREIRA E TRILHAM NO CAMINHO ESTREITO
·        É gratificante dizer que o destino dos que entram pela porta estreita, trilham o caminho estreito, Anda na companhia, ou seja, convive bem com Deus. com sua Igreja e, apesar de não se corromper, amam e pregam para os que não querem nada com Deus...  o destino é o Céu...
·       Paulo escreve em I cor. 2:9 que Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.

CONCLUSÃO:
·         Deus nos dá duas opções, como está escrito em Dt. 30:19.
·         E nos aconselha a escolher o caminho da vida.
·         Em que porta você quer entrar?
·         Em qual caminho você quer tocar sua vida?
·         Com qual companhia você quer caminhar na jornada da vida?

·         Aonde você quer chegar ao final de sua vida?

O CREDO APOSTÓLICO

1.      Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, criador do céu e da terra;
2.      E em Jesus Cristo, seu unigênito filho, nosso Senhor;
3.      O qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria;
4.      Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos; foi crucificado, morto e sepultado;
5.      Ao terceiro dia, ressurgiu dos mortos,
6.      Subiu ao Céu e está a direita de Deus Pai, Todo-Poderoso;
7.      De onde há de vir para julgar os vivos e os mortos.
8.      Creio no Espírito Santo,
9.      Na Santa Igreja de Cristo; (n)a comunhão dos santos;
10.  Na remissão dos pecados,
11.  Na ressurreição do corpo e
12.  Na vida eterna. Amém.

INTRODUÇÃO:

A palavra CRER, vem do Latim CREDERE e significa “Creio” ou “Acredito”!

É o conjunto de convicções e princípios aceitos por um indivíduo ou comunidade.

O Credo não é Apostólico por ser escrito pelos Apóstolos. Ele é Apostólico por conter as doutrinas defendidas pelos Apóstolos que estiveram pessoalmente com Jesus e por Ele foram discipulados.

É a confissão de fé mais popular do Cristianismo.

As regras de fé ou confissão fazem parte da caminhada do povo de Deus, (Deut. 6:4-9 – Judeus; João 1:29 – João Batista; João 1:49 (Natanael); João 11:27 (Marta); Mateus 16:16 (Pedro), etc...

É chamado de “Símbolo Apostólico”. Esse nome foi dado quando as heresias começaram a minar a Igreja.

Símbolo significa “marca distintiva, sinal, etc...”

Sua origem remonta tempos antiqüíssimos, pois, em 107 d.C., Inácio, Bispo de Antioquia, já o expunha para combater a doutrina dos Docetistas, que afirmava que negava que Jesus tinha um Corpo físico e que era apenas um espírito.

Só para se ter uma idéia, o Apóstolo João, último a morrer, segundo a história, morreu de morte natural, em Éfeso, no ano 103 d.C., aos 94 anos.

Surgiu por dois motivos:
  1. A expansão do Cristianismo exigiu uma declaração de fé básica para instruir aos candidatos ao batismo. (Mateus 28:19-20)
  2. O crescimento colocou a Igreja em contato com muitas culturas e filosofias pagãs que ameaçavam introduzir-se no meio do Povo de Deus, dando origem a muitas heresias.

O movimento chamado de Arianismo (318 – 381 d.C) afirmava que Jesus não era Deus, mas que havia sido uma criação de Deus. Criam que todo mal se encontrava no mundo material, enquanto tudo o que era bom e belo estava no mundo espiritual.

Para todos os movimentos heréticos que surgiam, o Credo Apostólico, baseado nos Ensinos de Cristo era a defesa de fé dos Cristãos!
DESENVOLVIMENTO:

1.       CREIO EM DEUS PAI, TODO-PODEROSO, CRIADOR DO CÉU E DA TERRA;
-(Pai) – Mateus 24:36  (Todo Poderoso) – Isaias 43:13 (Criador do Céu e da Terra) – Salmo 24:1-2

2.       E EM JESUS CRISTO, SEU UNIGÊNITO FILHO, NOSSO SENHOR;
- Ev. João 3:16

3.       O QUAL FOI CONCEBIDO POR OBRA DO ESPÍRITO SANTO; NASCEU DA VIRGEM MARIA;
- Ev. Lucas 1:26-38

4.       PADECEU SOB O PODER DE PÔNCIO PILATOS; FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO;
- Sob o governo de Pôncio Pilatos (Mateus 27:11-26) – Governador Romano da Judéia (26 a 36 d.C)
- Foi Crucificado – Ev. Mateus 27:33 a 44
- Morto – Ev. Mateus 27:45 a 56 – Ev. Marcos 15:33-41 – Ev. Lucas 23:44-49 e Ev. João 19:28-30
- Sepultado – Ev. Mateus 27:57 a 61 – Ev. Marcos 15:42-47 – Ev. Lucas 23:50-56 e Ev. João 19:38-42

5.       AO TERCEIRO DIA, RESSURGIU DOS MORTOS,
- Terceiro dia – Ev. Mateus 16:21 – 17:22-23 – 12:38-40 (Sinal de Jonas) – Atos 10:40 – I Cor 15:3-4
- Ressurgiu dos Mortos – I Cor. 15:20Romanos 8:11 – Eclesiastes 12:7  - Gal 1:1 (Pai) – Rom 8:11 (ES) – Ev. João 2:19 e 10:17-18 – Apocalipse 1:18
·         Precisamos lembrar que Jesus ao vir na terra era 100% Homem e 100% Deus.
·         Como Deus ele tinha vida presente em si mesmo. (Ev. João 2:19 e 10:17-18)
·         Biblicamente o corpo corruptível não pode herdar o Reino de Deus (I cor 15:50-54)
·         O corpo de Jesus foi sepultado.
·         Jesus Homem viveu e morreu como qualquer ser humano.
·         Pelo fato do Jesus Homem vencer a Morte e que o “ser humano” tem a certeza da ressurreição. I Cor. 15:12 a 19 – I Tes 4:14 – 2 Cor 4:14.

6.       SUBIU AO CÉU E ESTÁ A DIREITA DE DEUS PAI, TODO-PODEROSO;
- Marcos 16:19 (Assentado) – Atos 7:56 (Jesus de Pé)

7.       DE ONDE HÁ DE VIR PARA JULGAR OS VIVOS E OS MORTOS.
- 2ª Timóteo 4:1 – Atos 10:42

8.       CREIO NO ESPÍRITO SANTO,
- Ev. João 14:26 – 16:7-14

9.       NA SANTA IGREJA DE CRISTO; (N)A COMUNHÃO DOS SANTOS;
- Ev. Mateus 16:16-18 –
- Salmo 133

10.   NA REMISSÃO DOS PECADOS,
- I João 1:7-10

11.   NA RESSURREIÇÃO DO CORPO E
- I Cor 15:35-58 – I Tes 4:13-18

12.   NA VIDA ETERNA. AMÉM.
- Ev. João 3:16, 3:36, 11:25, etc....

CONCLUSÃO:

- No decorrer da história da Igreja Cristã, muitas são as investidas de Satanás, de forma sutil, no meio da Igreja.
- Hoje, mais do que nunca precisamos conhecer as Sagradas Escrituras e os documentos da Igreja que, no decorrer da caminhada, enfrentou e venceu os vários ataques de heresias que se levantaram.

- Que Deus nos ajude a estamos preparados a responder com mansidão àqueles que nos pedirem a razão de nossa fé e a dar respostas àqueles que desconhecem a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

02 DE NOVEMBRO – DIA DE FINADOS

Os vivos sabem que vão morrer, mas os mortos não sabem nada.

“Sim, os vivos sabem que vão morrer, mas os mortos não sabem nada. Eles não vão receber mais nada e estão completamente esquecidos. Os seus amores, os seus ódios, as suas paixões, tudo isso morreu com eles. Nunca mais tomarão parte naquilo que acontece neste mundo. Portanto, vá em frente. Coma com prazer a sua comida e beba alegremente o seu vinho, pois Deus já aceitou com prazer o que você faz. Procure sempre parecer feliz e satisfeito. Enquanto você viver neste mundo de ilusões, aproveite a vida com a mulher que você ama. Pois isso é tudo o que você vai receber pelos seus trabalhos nesta vida dura que Deus lhe deu. Tudo o que você tiver de fazer faça o melhor que puder, pois no mundo dos mortos não se faz nada, e ali não existe pensamento, nem conhecimento, nem sabedoria. E é para lá que você vai”. (Pv. 9:5-10)

O dia de finados é umas das principais datas do calendário católico, e já vem sem sendo celebrado no mundo inteiro anualmente desde o século XI, quando os Papas Silvestre II (1009), João XVII (1009) e Leão IX (1015) obrigaram a comunidade a dedicar um dia aos mortos. No século XIII esse dia passou a ser comemorado anualmente em 2 de novembro. Desde então, nesta data milhões de pessoas vão aos cemitérios chorar seus entes queridos, procurando dar descanso aos espíritos deles no Purgatório através de suas missas. Além das missas católicas, no dia de finados é comum também haver nos cemitérios sessões afro-espíritas e outros ritos místicos, pois nas religiões afro-brasileiras este dia é especial para se cultuar e cumprir obrigações para com os eguns (espíritos dos mortos), Omolu, o senhor dos cemitérios, e com Exu Omolu, chefe da linha de cemitérios na Quimbanda.

E nós, os cristãos evangélicos, porque não celebramos o dia de finados?

Em primeiro lugar porque cremos que os mortos já tiveram seus destinos traçados em vida, ou seja, desde o momento em que partiram deste mundo já não há mais esperança para eles, sendo portanto impossível ocorrer qualquer mudança depois disto.

Em segundo lugar porque Deus não é Deus de mortos, e sim de vivos. (Lc.20:38). Por conseguinte, o texto da carta aos Hebreus esclarece isto mostrando que após a morte segue-se o juízo (9:27). Portanto, não existe salvação depois da morte e nem Purgatório, já que a Bíblia nem ao menos menciona este lugar e evidencia que ele é desnecessário, pois só o sangue de Cristo nos purga e purifica de todo pecado (1ª João 1:7). Sendo assim, missas e rezas pelos mortos são ineficazes, pois, não podem alterar sua condição pós-morte; colhemos irremediavelmente na outra “vida”, o que semeamos nesta. Pois é!

Segundo a Wikipédia, no dia de Finados “muitos costumam visitar os cemitérios para rezar e venerar a memória daqueles que já partiram” Mas para que visitar os corpos dos mortos, uma vez que cremos que seus espíritos já não estão mais ali? É bem verdade que o sentimento de saudade é algo inevitável, mas este sentimento perde parte da sua força com o passar do tempo, sobretudo quando cremos na ressurreição dos salvos, pois para nós a principal esperança pós-morte é esta.

No entanto, para os que não crêem na ressurreição, o problema mais grave deste dia é que nele se transmite uma mensagem de que os vivos (com as suas rezas e dedicação) podem determinar ou influenciar o destino eterno de seus entes queridos já falecidos. Esta mensagem de fato está enganando as pessoas porque o que a Bíblia afirma é que o destino eterno de cada um é decidido ainda em vida, por cada pessoa individualmente e não depois da sua morte, por alguma espécie de procuração dada a outros.

A este respeito Jesus nos ensinou assim: “Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, tem a vida eterna.” (João 6:47).

Você crê nEle? Já deu sua vida a Ele? Espero que sim. Bom! Só de estar lendo esta matéria, isso já é um bom sinal, pois quer dizer que você ainda esta vivo. Então fique tranqüilo e saiba que sua ressurreição para vida eterna está garantida na pessoa de Cristo Jesus. Agora só depende de você.

No amor de Cristo,

Pr. Antônio Ramos

DIA DE FINADOS E A BÍBLIA


1. No dia 2 de novembro se celebra o culto aos mortos ou o dia de Finados. Qual a origem do culto aos mortos ou do dia de Finados?

O dia de Finados só começou a existir a partir do ano 998 DC. Foi introduzido por Santo Odilon, ou Odílio, abade do mosteiro beneditino de Cluny na França. Ele determinou que os monges rezassem por todos os mortos, conhecidos e desconhecidos, religiosos ou leigos, de todos os lugares e de todos os tempos. Quatro séculos depois, o Papa, em Roma, na Itália, adotou o dia 2 de novembro como o dia de Finados, ou dia dos mortos, para a Igreja Católica.

2. Como chegou aqui no Brasil essa celebração de 2 de novembro ser celebrado o dia de Finados?

O costume de rezar pelos mortos nesse dia foi trazido para o Brasil pelos portugueses. As igrejas e os cemitérios são visitados, os túmulos são decorados com flores, e milhares de velas são acesas.

3. Tem apoio bíblico essa tradição de se rezar pelos mortos no dia 2 de novembro? Como um cristão bíblico deve posicionar-se no dia de Finados?

Nada de errado existe quando, movidos pelas saudades dos parentes ou pessoas conhecidas falecidas, se faz nesse dia visita os cemitérios e até mesmo se enfeitam os túmulos de pessoas saudosas e caras para nós. Entretanto, proceder como o faz a maioria, rezando pelos mortos e acendendo velas em favor das almas dos que partiram tal prática não encontra apoio bíblico.

4. A maioria das pessoas que visitam os cemitérios no dia de Finados está ligada à religião católica. Por que os católicos fazem essa celebração aos mortos com rezas e acendendo velas junto aos túmulos?

Porque segundo a doutrina católica, os mortos, na sua maioria estão no purgatório e para sair mais depressa desse lugar, pensam que estão agindo corretamente mandando fazer missas, rezas e acender velas. Crêem os católicos que quando a pessoa morre, sua alma comparece diante do arcanjo São Miguel, que pesa em sua balança as virtudes e os pecados feitos em vida pela pessoa. Quando a pessoa não praticou más ações, seu espírito vai imediatamente para o céu, onde não há dor, apenas paz e amor. Quando as más ações que a pessoa cometeu são erros pequenos, a alma vai se purificar no purgatório.

5. Existe base bíblica para se crer no purgatório, lugar intermediário entre o céu e o inferno?

Não existe. A Bíblia fala apenas de dois lugares: céu e inferno. Jesus ensinou a existência de apenas dois lugares. Falou do céu em Jo 14.2-3 e falou do inferno em Mt 25.41.

6. Segundo a Bíblia o que acontece com os seres humanos na hora da morte?

No livro de Hebreus 9.27 se lê que após a morte segue-se o juízo. E Jesus contou sobre a situação dos mortos Lc 16.19-31. Nessa parte bíblica destacamos quatro ensinos de Jesus:

que há consciência após a morte;

existe sofrimento e existe bem estar;

não existe comunicação de mortos com os vivos;

a situação dos mortos não permite mudança.

Cada qual ficará no lugar da sua escolha em vida. Os que morrem no Senhor gozarão de felicidade eterna (Ap 14.13) e os que escolheram viver fora do propósito de Deus, que escolheram o caminho largo (Mt 7.13-14) irão para o lugar de tormento consciente de onde jamais poderão sair.

7. Fora a crença sobre o estado dos mortos de católicos e evangélicos, existem outras formas de crer sobre a situação dos mortos. Pode indicar algumas formas de crer?

Sim.
  • os espíritas crêem na reencarnação. Reencarnam repetidamente até se tornarem espíritos puros. Não crêem na ressurreição dos mortos. (POR NÃO ACREDITAREM NA OBRA REDENTORA DE JESUS, OS ESPÍRITAS NÃO PODEM SER CONSIDERADOS CRISTÃOS.)
  • os hinduístas crêem na transmigração das almas, que é a mesma doutrina da reencarnação. Só que os ensinam que o ser humano pode regredir noutra existência e assim voltar a este mundo como um animal ou até mesmo como um inseto: carrapato, piolho, barata, como um tigre, como uma cobra, etc.
  • os budistas crêem no Nirvana, que é um tipo de aniquilamento.
  • as testemunhas de Jeová crêem no aniquilamento. Morreu a pessoa está aniquilada. Simplesmente deixou de existir. Existem 3 classes de pessoas: os ímpios, os injustos e os justos. No caso dos ímpios não ressuscitam mais. Os injustos são todos os que morreram desde Adão. Irão ressuscitar 20 bilhões de mortos para terem uma nova chance de salvação durante o milênio. Se passarem pela última prova, poderão viver para sempre na terra. Dentre os justos, duas classes: os ungidos que irão para o céu, 144 mil. Os demais viverão para sempre na terra se passarem pela última prova depois de mil anos. Caso não passem serão aniquilados.
  • os adventistas crêem no sono da alma. Morreu o homem, a alma ou o espírito, que para eles é apenas o ar que a pessoa respira, esse ar retorna à atmosfera. A pessoa dorme na sepultura inconsciente.
8. Como se dará a ressurreição de todos os mortos?

Jesus ensinou em Jo 5.28,29 que todos os mortos ressuscitarão. Só que haverá dois tipos de ressurreição;  A primeira ressurreição se dará por ocasião da segunda vinda de Cristo, no arrebatamento. (1 Ts 4.16,17; 1 Co 15.51-53). E a ressurreição do Juízo Final como se lê em Apocalipse 20.11-15.

Autor: Pr Natanael Rinaldi - Com adaptação

A IGREJA METODISTA E A ITINERÂNCIA PASTORAL


Ao ser Consagrado e Ordenado como Pastor/a ou Presbítero/a da Igreja Metodista, os/as Pastores/as fazem um voto diante de Deus, do Concílio Regional e da Igreja de acatarem a ITINERÂNCIA PASTORAL, ou seja, eles/as se colocam a disposição de Deus e da Igreja para servirem, com seus dons, na área geográfica de sua Região Eclesiástica. 
A cada dois anos acontecem as Nomeações Pastorais ordinárias e, quando necessário, ou ,em caso de falecimento ou afastamento do/a Pastor/a, acontece os ajustes nas Nomeações Pastorais.

Por que relembrar este assunto?

• Porque o período que antecede as Nomeações Pastorais é um tempo de muitas especulações quanto aos Pastores/as que vão ficar, sair ou chegar.

• O Artigo 130, Inciso VII, dos Cânones/2017, diz que o Bispo tem o prazo, de até 30 de novembro para divulgar as Nomeações Pastorais.

• Por isso, qualquer especulação é improcedente, beirando a irresponsabilidade, causando inquietações e sofrimentos desnecessários.

• Reconhecemos que é um processo desgastante para todos, inclusive para as famílias Pastorais.

Orientamos a Igreja à permanecer em oração e serenidade para que Deus faça exatamente a vontade Dele, que é boa, agradável e perfeita.

Com carinho!

Rev. Ednaldo Breves

domingo, 29 de outubro de 2017

FESTA DE HALLOWEEN E A BÍBLIA

Introdução

Esse estudo foi criado para educar os cristãos sobre o verdadeiro sentido do Halloween. Sua origem macabra se dá nos tempos dos adoradores de Baal no Velho Testamento até o dia de hoje. Atualmente, o diabo tem cegado muitos evangélicos mostrando esse feriado como um dia divertido e sem "maldade", onde as criancinhas se vestem com fantasias para pedirem doces nas casas. Essa não é a vontade de Deus na vida de seus filhos!

Sempre escutei de 95% dos americanos que conheci aqui nos EUA que isso é uma coisa normal e sem maudade que todos fazem. Pessoalmente, eu nunca concordei com isso, mas por ser um adolescente na época, pensava que eu não podia fazer nada a respeito. Até que um dia eu soube de uma reportagem em que uma bruxa dizia estar alegre, pois até os evangélicos estavam celebrando o feriado dos bruxos, o Halloween. Depois disso, me senti incomodado a fazer algo a respeito e tomei como base o seguinte versículo:

"Não participem das coisas sem valor que os outros fazem, coisas que pertencem a escuridao. Pelo contrario tragam todas essas coisas para a luz." Efésios 5:11

Se "apoiamos" ou "ignoramos" o que o diabo lança no mundo através do Halloween, nunca teremos vitória em Cristo Jesus. Por essa razão, não podemos ficar calados, temos que ser corajosos e trazer tudo à tona! Mostrar a todos de onde e como esse feriado surgiu, o significado dos seus símbolos, do nome, etc. Assim, os evangélicos nao ficarão mais na ignorância pensando que está tudo bem em fantasiar seus filhos para pedirem doces, mas ajudarão a trazer luz para as trevas.

Gostaria de ressaltar para os irmãos outro versículo:

"Estejam alertas e fiquem vigiando porque o inimigo de voces, o diabo, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar." I PedroI 5:8

Onde comecou esse feriado?

Tudo começou no século V A.C., com um povo chamado Celta que habitavam nos países da Irlanda, Inglaterra e França; mas a maior concentração dos Celta se encontrava na Irlanda. Na época, o verão terminava oficialmente no dia 31 de Outubro. Da noite do dia 31 para o dia 1° de Novembro era celebrado o ano novo dos Celta, o qual era também chamado o feriado de Samhain (sow-en), que significa senhor da morte.

Os Celtas consideravam o dia 1° de Novembro o dia da morte porque as folhas das árvores já estavam caindo, a noite chegava mais rápido e a temperatura caía; ou seja, para eles essa época é outono. Eles acreditavam que o Muck Olla, o deus sol, estava perdendo suas forças por causa do Samhain, senhor da morte. Além disso, eles criam que no dia 31 de Outubro, Samhain ajuntava os espíritos de todas as pessoas que haviam morrido no ano anterior, pois eles (os espíritos) tinham sido confinados a ficar vagando entre a terra e a lua por causa dos seus atos maus, sem chance de ir para o paraíso. Na noite do banquete de Samhain (dia 31), esses espíritos teriam a permissão de voltar para as suas casas e para tentar tomar posse dos corpos das pessoas que ainda viviam, porque, segundo eles, essa seria a única esperança para os espíritos depois da morte.

Como as pessoas não queriam ser possuídas por espíritos maus, eles tomavam as devidas precausções para se protegerem. Aqui estão três versões diferentes encontradas a respeito das coisas que os Celtas faziam para afastar os espíritos maus:

A primeira versão seria que os Padres Druídas teriam convencido muitas pessoas a fazerem rituais macabros com sacrifícios humanos e com animais como oferenda para que Samhain se acalma-se e não deixasse que os espíritos machucassem ou possuíssem ninguém.

A segunda versão seria que as pessoas apagavam o fogo de suas casas para torná-las frias e indesejáveis. Depois eles se vestiam com fantasias macabras fazendo muita bagunça e sendo o mais destrutível possível na vizinhança para assustar os espíritos que estavam vagando atrás de pessoas para possuir.

A terceira versao inclui a primeira e ainda acrescenta que além dos sacrifícios, as pessoas tinham que oferecer comida e abrigo para esses espíritos, eles amaldicoariam a casa e tomariam posse dos corpos.

Algumas estórias contam que os Celtas queimavam pessoas na estaca, acreditando que elas ja estavam possuídas pelo espíritos maus. Isso serviria como uma "lição" para eles não voltarem mais para aquele lugar.

Segundo o pesquisador de feriados George Douglas,

"muitas das tradições do Halloween foram derivadas do antigo festival para o deu Baal. Outras tradições foram originadas dos sinais de luta e de dor das vítimas do fogo dos sacrifícios dos Druídas." (Retirado do: "The American Book of Days", escrito por George William Douglas, revisado por Helen Douglas Compton).

No livro de Alexander Hislop, The Two Babylons (As duas Babilônias), encontramos os seguinte:

"O deus o qual os Druídas adoravam era o deus Baal, como os intensos rituais de fogo mostravam "

Nós sabemos que eles ofereciam sacrifícios humanos para seus deuses sangrentos. Também temos evidência que eles fizeram suas crianças passarem por fogo para Moloque, e isso faz com que seja grande a probabilidade deles terem oferecido essas crianças como sacrifício. Comparando Jeremias 32:35 com Jeremias 19:5, descobrimos que apesar dos sacrificios serem para deuses diferentes, ainda e considerado o mesmo sistema." É importante ressaltarmos outra parte do livro:

"os padres de Nimrod ou Baal eram requeridos deles que eles comessem do sacrifício humano oferecido, daí a palavra Canibal ou Cahna-Bal, (Cahna é a palavra enfática para Chan que quer dizer padre), querendo dizer o padre de Baal, no qual hoje em dia é uma palavra usada para descrever o devorador de carne humana." (Retirado do livro: The Two Babylons, Hislop. Ver página 232).

Mesmo que o nome dos deuses tenham sido trocados em Jeremias (uma vez fala que os sacrifícios era para Baal e a outra diz que era para Moloque), Hislop acredita que as práticas Druídas tinham como base a adoração a Baal, a qual é condenada na Bíblia.

Se esse feriado orinou-se com os Celtas, por que é tão famoso nos EUA?

Em 1845-46 muitos irlandeses imigraram para Nova Iorque, pois eles estavam passando escassez de batatas, o que era a base da alimentação deles. Esse período foi chamado de "Irish Potato Famine" (Fome Irlandesa de batatas). Por causa da imigração, o feriado dos Druídas foi trazido para os EUA e se espalhou pelo país gradativamente.

Hoje em dia esse feriado é tão famoso, que só perde para o Natal em questão de entertenimento. O que acabou dando margem a um Mercado que fatura bilhões de dólares todos os anos com cartões, fantasias, filmes, programas de televisao, comercias, tickets para casa mau assombradas etc"

"O Espírito de Deus diz claramente que, nos últimos tempos, alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores e a ensinamentos que vem de demônios" 1 Timóteo 4:1

De onde originou-se esse nome?

A palavra Halloween originou-se da Igreja Católica. (A palavra Hallow em inglês quer dizer santo). Halloween surgiu da junção das palavras "Hallows Eve" (Noite dos santos) que veio do nome All Hallows Eve (Noite de todos os santos). "All Hallows Day" ou "All Saints Day" (o que significa a mesma coisa), é um feriado Católico comemorado para todos os santos no dia 1° de Novembro.

Então realmente existe uma ligação desse feriado com a Igreja Católica?

Sim. O feriado do "All Saints"

Autor: Heverson Silva